AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO

O maior mandamento: Fazer aos outros, como quereríamos que nos fizessem.

CAP. XI

Parábola dos credores e devedores.

Daí a César o que é de César.

Instrução dos Espíritos.

A lei do amor.

O Egoísmo.

Fé e Caridade.

Caridade para com os criminosos.

Pode-se expor a vida por um malfeitor?

Parábola da ovelha perdida.

O MAIOR MANDAMENTO

          "Mas os fariseus, quando ouviram que Jesus tinha feito calar a boca aos saduceus, se juntaram em conselho.- E um deles, que era doutor da lei, tentando-o lhe perguntou: Mestre qual é o maior mandamento da Lei?- Jesus lhe disse: Amarás o Senhor teu Deus de todo de todo o seu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.- Este é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este é : Amarás ao teu próximo como a ti mesmo."

          "Destes dois mandamentos, dependem toda a Lei e os profetas." (MATEUS)

          "E assim tudo o que vós quereis que vos façam os homens, fazei-o também vós a eles, porque esta é a Lei e os profetas." (MATEUS)

          E o que quereis que vos façam a vós os homens, isso mesmo fazei vós a eles. (LUCAS)

 

PARÁBOLA DOS CREDORES E DEVEDORES

          "Pôr isso o Reino dos Céus é comparado a um Rei, que quis tomar as contas de seus servos.

          E tendo começado a tomar as contas, apresentou-se um que lhe devia dez mil talentos. E como não tivesse com que pagar, mandou o seu Senhor que o vendessem a ele e a sua mulher e aos seus filhos. E tudo o que tinha. Porém tal servo, lançando-se-lhe aos pés, fazia uma suplica dizendo: tem paciência comigo e te pagarei tudo. Então o senhor, compadecido daquele servo, deixou-o ir livre, e perdoou-lhe a divida. E tendo saído este servo encontrou um de seus conservo que lhe devia cem talentos; e lançando-se a mão o afogava, dizendo: Paga-me o que deves. E o conservo lançando-se- lhe aos pés rogava dizendo: Tem paciência comigo, que eu te pagarei tudo.

          Outros vendo o que se passava, foram dar parte ao Senhor.

          Então o fez vir seu Senhor, e lhe disse: servo mau, eu perdoei a tua dívida, por que me vieste pedir.

          Não devias tu, logo, compadecer-te igualmente de teu companheiro, assim como eu me compadeci de ti?

          Cheio de cólera, mandou o Senhor que o entregassem aos algozes, até pagar toda a divida.

          Assim também a vos há de fazer o Pai Celestial, se não perdoares do íntimo de seus corações, aquilo que vos tenha feito vosso irmão. (MATEUS) (COMENTÁRIOS DE ALLAN KARDECMATEUS)

          "Amar ao próximo como a si mesmo; fazer aos outros o que quereríamos que nos fizessem"

          Eis a expressão mais completa da caridade, porque resume todos os deveres com o próximo"

 

DAR A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR.

 

          "Então, retirando-se, os fariseus consultaram-se entre si, como o surpreenderiam no que falassem e lhe disseram: Mestre, nós sabemos que es verdadeiro e que ensinas o caminho de Deus pela verdade, e não fazes acepção de pessoas. Dizei-nos pois qual é o teu sentimento: É licito dar tributo a CÉSAR, ou não? Jesus, porém conhecendo a sua malícia disse-lhes: Porque me tentais hipócritas? Mostrai-me cá a moeda do censo. E eles lhe apresentaram um dinheiro.

          E Jesus lhes disse: de quem é esta imagem, e inscrição? Responderam-lhe eles: De César. Então lhes disse Jesus: Pois daí a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.

          E quando isso ouviram, se admiraram e, deixando-o se retiraram. (MATEUS e MARCOS)

          COMENTÁRIOS DE ALLAN KARDEC

          Os Judeus tinham verdadeiro horror de pagar impostos aos Romanos. Tal pergunta era uma armadilha. Mas Jesus conhecendo a sua hipocrisia contornou a dificuldade, dando-lhes um lição de justiça, dizendo que a cada um deve-se dar aquilo a que tem direito.

          Esta máxima, prescreve os direitos de cada um, assim como cada qual deseja que o seu seja respeitado. Estende-se isto ao cumprimento dos deveres contraídos para com a família, a sociedade, a autoridade, do mesmo modo que para com os indivíduos.

 

A LEI DO AMOR

          O amor, resume inteiramente a doutrina de Jesus. Porque é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado.

          Em sua origem o homem só tem instintos; mais avançado e corrompido, só tem sensações; quando porem instruído e purificado, tem sentimentos e o ponto extremo do sentimento é o AMOR. Não o amor no sentido vulgar do termo, mas esse sol interno, que condensa e reúne em seu foco ardente todas as aspirações e todas as revelações sobre-humanas.

          A Lei do AMOR substitui a PERSONALIDADE pela fusão dos seres e aniquila as misérias sociais.

          Quando Jesus pronunciou esta divina palavra AMOR, fez estremecer os povos e, ébrios de esperança, os mártires desceram ao circo.

          O Espiritismo ao seu turno vem pronunciar uma Segunda palavra do alfabeto divino: estais atentos, porque essa palavra ergue a pedra dos túmulos vazios. É a RENCARNAÇÃO, que triunfando sobre a morte, revela ao homem maravilhado, seu patrimônio intelectual; não é mais aos suplícios que ela o conduz, mas a conquista do ser, elevado e transfigurado.

          O sangue resgatou o Espírito, e o Espírito deve hoje resgatar o homem da matéria. (Lázaro Paris 1862)

          Não vos canseis de ouvir as palavras de João Evangelista; que quando a enfermidade e a velhice suspenderam o curso de suas pregações, ele não repetia senão estas doces palavras: "Meus filhinhos, Amai-vos uns aos outros".

 

O EGOISMO

          O egoísmo, essa droga da humanidade, deve desaparecer da face da Terra, porque está travando o seu progresso.

          Um exemplo é a guerra e suas consequências. É pois, o EGOISMO o objetivo para o qual todos os verdadeiros crentes devem dirigir suas armas, sua força e sua coragem.

          Digo coragem, porque esta é a mais necessária para vencer a si mesmo, do que para vencer aos outros.

          Que cada um faça todo esforço em combate-lo em si próprio. Esse monstro devorador que é filho do Orgulho e a origem de todas as misérias terrenas. É a negação da caridade e, consequentemente, o maior obstáculo á felicidade das criaturas.

          Jesus foi exemplo da Caridade, Pilátos de Egoísmo. Porque enquanto o justo ia percorrer as Santas Estações de seu martírio, Pilátos lavava as mãos dizendo: " Que me importa" Disse aos judeus: Este homem é justo. Porque quereis crucifica-lo? E, nada obstante, deixa que o conduzam ao Suplício. (EMMANOEL Paris, 1861)

          O Egoísmo- Na guerra, traz como conseqüência, a destruição, a orfandade, a fome, a peste e a miséria.

 

FÉ E CARIDADE

          Meus filhos, a Caridade sem a fé, seria insuficiente para manter entre os homens uma ordem social capaz de os fazerem felizes.

          É certo que podereis encontrar rasgos de generosidade em criaturas até sem religião, mas a Caridade que só se exerce por abnegação, pelo constante sacrifício de todo interesse egoístico, só a FÉ a pode inspirar, porque só ela pode fazer carregar com coragem e perseverança o fardo desta vida.

          A história da cristandade fala dos mártires que iam ao suplicio com alegria; hoje na vossa sociedade já não necessitais, para serdes cristãos nem de holocausto nem de sacrifício do vosso Egoísmo, do vosso Orgulho, e da vossa Vaidade.

          Triunfareis se fores inspirados pela Caridade e sustentados pela Fé.

          Como um exemplo: Em Fé e Caridade, vemos Maria de Magdala, a mensageira da Ressurreição.

          Cheia de Fé e Amor no coração, dirigiu-se na manhã do terceiro dia ao túmulo, certa e convicta da presença do Mestre ressuscitado. Sua Fé na vida Espiritual, Fe-la renunciar a todos os prazeres transitórios do mundo para adquirir o verdadeiro amor fraternal.

 

CARIDADE PARA COM OS CRIMINOSOS

          A verdadeira caridade é um dos mais sublimes ensinamentos dado por Deus ao mundo. Deveis amar aos infelizes e aos criminosos, como criaturas de Deus, a quem se concede misericórdia e perdão, desde que se pense que eles não conhecem Deus, como o conheceis, pelo que se lhes pedirá muito menos do que a voz.

          Não julgueis queridos amigos, porque o julgamento que formulardes vos será aplicado com maior severidade, e tereis necessidade de indulgencia para os pecados que incessantemente cometeis.

          Aproximam os tempos em que a grande fraternidade reinará em toda a Terra. Amai-vos pois, com os filhos de um mesmo Pai; não façais diferença entre os outros infelizes, porque Deus é que quer que todos sejam iguais. Não desprezeis ninguém. Deus permite que estejam entre voz grandes criminosos, com o fito de vos servirem de ensinamento.

          Quando os homens forem conduzidos à pratica das verdadeiras leis de Deus, não haverá mais necessidade de tais ensinamentos e todos os Espíritos impuros e rebeldes serão dispersados pelos mundos inferiores, de acordo com as suas inclinações.

          Considerai os criminosos como irmãos doentes e necessitados das vossas orações.

 

EXPOR A VIDA POR UM MALFEITOR

          Eis uma questão grave que se apresenta à inteligência.

          A abnegação é cega. Lançai-vos pois, homens a quem a ciência Espírita iluminou. Lançai-vos, arrancai-o a sua condenação: Quem sabe se esse homem, que talvez tivesse morrido blasfemando, não se refugiará em vossos braços como um filho muito querido.

          Ir em seu auxilio, salvando-o obedecereis a voz da vossa consciência e de vosso que vos diz: " Podeis salva-lo; salvai-o. (LAMENNAIS Paris 1862)

          Parábola da Ovelha Perdida

          Na parábola da Ovelha Perdida o pastor que possuindo cem ovelhas e perdendo um delas, deixa no deserto as noventa e nove e vai em busca da que se perdeu, até encontra-la.

          Achando-a, a traz cheio de jubilo e diz: Alegrai-vos porque já achei a minha ovelha perdida.

          Por isso haverá mais alegria no Céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.

          Eis uma questão em que se aproveita a abnegação inteligente em favor de salvar se possível um malfeitor, sempre com a esperança de reconduzir uma alma ao aprisco do Senhor.

Voltar